O terminal, que foi inaugurado hoje, recebeu investimento de 21 milhões de euros e cumpriu prazos de construção.

O Porto de Leixões já tem reunidas as condições para, pela primeira vez, receber os navios de cruzeiro de maiores dimensões.

A inauguração do terminal do cais contou com a presença do ministro das Obras Públicas, António Mendonça. De acordo com Matos Fernandes, presidente da Administração dos Portos do Douro e Leixões (APDL), a construção da obra, lançada em Maio de 2010, “cumpriu escrupulosamente os prazos e valores orçamentados: um ano de período de construção e 21 milhões de euros de investimento”.

Para o corrente ano, o novo terminal de cruzeiros tem já programadas as escalas de 60 cruzeiros, 15 dos quais, com mais de 2000 passageiros cada, que não poderiam atracar em Leixões caso não estivesse concluída esta estrutura. A empreitada, que contempla um novo cais para cruzeiros com capacidade para a acostagem de navios até 300 metros de comprimento e um cais fluvio-marítimo para acostagem de embarcações que permitam proporcionar itinerários turísticos no Rio Douro a partir de Leixões.

A obra corresponde à primeira fase do terminal de cruzeiros de Leixões, sendo a segunda fase dedicada à construção da nova estação de passageiros, edifício central do complexo que irá albergar um espaço dedicado à produção e divulgação científica através do Pólo do Mar do Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto, a concluir em 2013.

De acordo com a APDL os estudos de mercado realizados apontam que apenas cinco anos depois, em 2018, passarão anualmente por Leixões cerca de 110 navios de cruzeiro com mais de 125 mil passageiros, um acréscimo significativo na procura turística da região que providenciará uma receita anual de 11 milhões de Euros para os sectores da restauração, transportes, compras, cultura e lazer do Porto e Norte de Portugal.

Cortesia: Económico

Notícia na RTP: